27 de julho de 2021

Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Maceió vai solicitar reunião conjunta com a Secretaria de Saúde e SINDPREV-AL para resolver problemas do PAM Salgadinho

O SINDPREV-AL realizou na manhã desta terça-feira uma manifestação de protesto contra as perseguições e inaceitável assédio moral que os servidores do PAM estão sendo submetidos nos últimos meses.

O ato público de protesto dos servidores do PAM Salgadinho, realizado na manhã desta terça-feira (27) conseguiu avançar na solução para os graves problemas de estrutura do Posto, além da denúncia de perseguição e assédio moral por parte dos gestores. O presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Maceió, Dr. Valmir Gomes se comprometeu em solicitar da Secretária Municipal de Saúde de Maceió, Célia Fernandes uma reunião conjunta, com a participação do SINDPREV-AL, gestão do PAM e a Secretaria, no sentido de resolver os problemas.

O SINDPREV-AL realizou na manhã desta terça-feira uma manifestação de protesto contra as perseguições e inaceitável assédio moral que os servidores do PAM estão sendo submetidos nos últimos meses.

A ação do Sindicato teve forte repercussão na imprensa, onde os diretores do Sindicato registraram que não vão aceitar nenhum tipo de perseguição no PAM Salgadinho.

A situação no PAM Salgadinho está cada vez pior. Atualmente os servidores que atuam no maior posto de saúde de Alagoas, reclamam das constantes perseguições e assédio moral praticados pela atual gestão do PAM. Recentemente servidores efetivos foram colocados à disposição e enviados para a Secretaria de Saúde, sem que fosse apresentado nenhuma justificativa para tal.

A situação estrutural do PAM Salgadinho vem sendo denunciada ao longo dos anos pelo SINDPREV-AL em uma luta constante pela melhoria das condições de trabalho e de atendimento. No local, que ironicamente teve uma reforma entre os anos de 2015 e 2016 continua com praticamente os mesmo problemas de antes. O sistema hidráulico não foi renovado, levando a constantes falta de água e outros problemas.

Com relação ao sistema elétrico é outro grave problema, ainda mais que no PAM Salgadinho não tem extintores de incêndio, nem mangueiras de água para combater o fogo.

A direção do Posto está exercendo uma constante pressão junto aos profissionais de saúde cobrando atendimento sem que haja condições mínimas para isso. A redução do quadro de funcionários tem levado a uma constante sobrecarga de trabalho nos servidores efetivos e também nos precarizados.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *