29 de abril de 2019

1º de Maio terá luta central contra a Reforma da Previdência

Em Maceió haverá ato público e caminhada na Orla da cidade, com concentração a partir das 9 horas da manhã no antigo CRB - Pajuçara

O 1º de Maio, Dia Internacional dos Trabalhadores, será marcado pela luta contra a reforma Previdência. Em todo o país, trabalhadores de diferentes categorias participam das manifestações na data. O dia marcará também, pela primeira vez, a unidade das centrais sindicais brasileiras, que farão atos conjuntos em todos os Estados do país.
A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, enviada pelo governo Bolsonaro, representa uma devastação aos atuais direitos previdenciários no Brasil. Além da pauta central, os trabalhadores ainda lutam contra os baixos salários, a carga horária excessiva, a terceirização, entre outros.

Reforma da Previdência

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/19 representa um duro ataque aos trabalhadores brasileiros. Além de aumentar a idade mínima para aposentadoria, ela quebra o caráter solidário da Previdência Social e reduz os valores de benefícios. Além disso, a reforma privatiza a Previdência, entregando ao sistema financeiro o principal mecanismo de proteção social e distribuição de renda do país. A reforma ataca também os servidores públicos, limitando valores de aposentadoria, e impondo pesadas regras de transição.

1º de Maio

A data foi estabelecida em 1889 no Congresso da Internacional Socialista, ocorrido em Paris, que reuniu os principais partidos socialistas e sindicatos de toda Europa. Ao escolher 1º de maio como Dia do Trabalhador, os participantes desse encontro prestaram uma homenagem aos operários dos Estados Unidos. Três anos antes, os americanos organizaram uma campanha por melhores condições de trabalho, fazendo mais de 1,5 mil greves em todo o país. Uma das principais reivindicações era a garantia da jornada de oito horas diárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *