13 de outubro de 2021

Idealizador da PEC 32 (reforma administrativa), Paulo Guedes fatura alto em paraísos fiscais

Em um mês, o ministro Guedes ganhou, às custas da pobreza do povo brasileiro, o equivalente ao salário de 200 servidores municipais. Enquanto isso, com a PEC 32, rifa os serviços públicos, propondo a transferência de recursos públicos para a iniciativa privada, por meio do art. 37.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, idealizador da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32 – a ‘reforma administrativa’ do governo Bolsonaro – lucra em cima da desvalorização da moeda de seu país, em empresas e contas bancárias abertas em territórios onde há menor tributação para fins lícitos (ou seja, em “paraísos fiscais”), as chamadas offshores. Esta foi a revelação do escândalo do Pandora Papers.

Para Guedes, pouco importa se o Real valendo mais ou menos um terço do dólar representa a fome para mais de 18 milhões de brasileiros. Para ele é assim: ossos para o povo e picanha Wagyu na mesa dele!

GUEDES GANHA O QUE O BRASIL PERDE

Em um mês, o ministro Guedes ganhou, às custas da pobreza do povo brasileiro, o equivalente ao salário de 200 servidores municipais. Enquanto isso, com a PEC 32, rifa os serviços públicos, propondo a transferência de recursos públicos para a iniciativa privada, por meio do art. 37.

A pergunta que fica: é para melhorar os serviços públicos ou enriquecer Guedes e sua corja, como sua irmã que é presidente da Associação Nacional de Universidades Privadas às custas do direito do povo brasileiro? Quem vai sair ganhando?

Paulo Guedes mente e é contra o povo brasileiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *