13 de setembro de 2021

Entidades representativas dos servidores públicos rejeitam substitutivo da PEC 32 e convocam semana de mobilização

No documento, as entidades alertam que o texto do substitutivo de Arthur Maia (DEM-BA) é pior que a PEC 32 original

“Substitutivo da PEC 32: Não tem emenda, não tem arrego, a luta é para derrotar a reforma”, esse é o título do documento assinado pela Aliança Nacional das Entidades Sindicais Representativas dos Servidores Públicos, formada por entidades das três esferas, incluindo a Condsef/Fenadsef e CNTSS/CUT.

Além de rejeitar o substitutivo da PEC 32, as entidades convocam os servidores para a semana de mobilização para pressionar os deputados federais a votarem NÃO à reforma administrativa. O ponto alto da mobilização será o dia 14 de setembro (terça-feira), com a realização de atos nos estados e municípios. Em Brasília, haverá manifestação na Esplanada dos Ministérios com a participação de caravanas de servidores de diversos estados.

No documento, as entidades alertam que o texto do substitutivo de Arthur Maia (DEM-BA) é pior que a PEC 32 original, visto que:

a) Amplia a terceirização e “voucherização” de serviços públicos, como saúde e educação;
b) Permite a redução de salários e jornada em 25%;
c) Prevê que uma simples lei ordinária determine a extinção de cargos que o governo considere desnecessários e obsoletos e, como consequência, autorize a demissão dos servidores que ocupam esses cargos;
d) Permite a contratação de servidores temporários, sem estabilidade e sem concurso público, por até dez anos abrindo as portas para apadrinhados políticos e esquemas de corrupção organizados muitas vezes pela via das Organizações Sociais (OSs).

Estes são apenas alguns dos itens nefastos contidos na PEC que seguem a linha da total destruição dos serviços públicos. Acesse a íntegra do documento aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *