15 de setembro de 2020

Reforma Administrativa visa um estado zero diante de uma categoria que desempenha papel heróico dentro do INSS

O momento pede união e mobilização de todos os servidores para, na luta, garantir todos os direitos conquistados e que o retrocesso não bata na porta da categoria

O segundo dia do webnário promovido pela CNTSS com a participação de dirigentes e trabalhadores em sindicato sobre a Reforma Administrativa encerrou com a apresentação da “Nova estrutura do INSS e a Carreira do Seguro Social frente à Reforma Administrativa”, composta por Helder Calado, Diretor de Gestão de Pessoas e Administração do INSS, e Aleksandra Santos, especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental.

 

O webnário  “Reforma Administrativa – impactos e consequências no INSS” organizado pelo SINSSP, CNTSS e os sindicatos da Confederação encerrou a sua segunda e última fase nesta sexta-feira (11) com a apresentação da Mesa 2 “Nova estrutura do INSS e a Carreira do Seguro Social frente à Reforma Administrativa”, composta por Helder Calado, Diretor de Gestão de Pessoas e Administração do INSS, e Aleksandra Santos, especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental.

 

O presidente do INSS, Leonardo Rolim, estava confirmado para fazer a apresentação representando a Casa, porém, por problemas de agenda não pode participar.

 

Pedro Totti, Presidente do SINSSP, abriu o webnárío parabenizando a CNTSS e todos os sindicatos filiados à Confederação pela organização do seminário que vem em um momento muito importante para esclarecer os servidores públicos da Autarquia sobre o tema.

 

Totti aproveitou para dizer que a categoria desempenha papel heroico dentro do Instituto, pois apesar de ter perdido cerca de 11 mil trabalhadores, que se aposentaram nos últimos anos, desempenham o serviço com garra e vigor mesmo com a diminuição da mão de obra, aumentando a produtividade em quarentena com o país e o mundo enfrentando um problema tão grave e assustador que é a pandemia da Covid-19.

 

Os pontos da Reforma Administrativa não visam um Estado mínimo, mas Estado zero, sem responsabilidades e principalmente sem abranger as questões sociais, ressaltou o presidente do sindicato sobre um ponto levantado na apresentação da mesa de ontem.

 

Sobre o debate da redução da carreira no serviço público, Pedro Totti apontou a suma importância dessa discussão com a categoria e que o sindicato está disposto a estar presente no processo de construção da carreira do seguro social e salientou que a proposta da Nova Estrutura entrará em choque com a Reforma Administrativa que o Ministério da Economia quer aprovar.

 

Essa nova estrutura possui quatro pontos que estão sendo debatidos e aqui no webnário Helder Calado destrinchou a questão do programa de gestão e da carreira. Sobre o programa de gestão o representante da Casa disse que o trabalho remoto conforme publicação da Instrução Normativa nº 65, de 30 de julho de 2020, o INSS visa implementar essa modalidade de trabalho em todas as áreas da Autarquia e que esse processo será dado por adesão ou não dos servidores.

 

Já no quesito carreira, Calado informou que o INSS vai propor uma modernização dos cargos de analistas e técnicos e da própria Casa. Esses cargos poderão ser tratados, segundo ele, como carreira típica de Estado.

 

Notícia de última hora

 

O Diretor de Gestão de Pessoas e Administração do INSS informou, em primeira mão no seminário, que todas as gerências alcançaram a meta desse ciclo da GDASS. A informação será divulgada na próxima semana pelo Instituto.

 

Nova estrutura do INSS e a Carreira do Seguro Social frente à Reforma Administrativa

Ao entrar no ponto da nova estrutura do INSS frente à Reforma Administrativa, a especialista em políticas públicas e gestão governamental, Aleksandra Santos, falou do processo de como a reforma foi imposta aos servidores e que a realização desse webnário foi muito importante para explicar isso.

 

Para a especialista, a carreira será piorada na implantação da reforma, pois ninguém sabe como, de fato, ela será, podendo esvaziar um cargo via decreto conforme a nova reforma estabelecer. E enquanto todas as carreiras ficam brigando para virar carreira típica de Estado, a Reforma Administrativa será aprovada.

 

Aleksandra fecha a sua fala com uma frase muito propicia para o momento que o serviço público vem enfrentando e ainda enfrentará: “Eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um museu de grandes novidades” (letra da música de Cazuza – O Tempo não pára).

 

E assim o webnário “Reforma Administrativa – impactos e consequências no INSS” fechou o seu ciclo de palestras levando aos servidores públicos do Instituto informação, debate e novos esclarecimentos sobre esse tema tão importante e ainda muito obscuro para a categoria.

 

O momento pede união e mobilização de todos os servidores para, na luta, garantir todos os direitos conquistados e que o retrocesso não bata na porta da categoria.

 

 

 

http://www.sinssp.org.br/Noticias/Not%C3%ADcias_/Segundo-dia-do-Webnario-a-Nova-Reforma-Administrativa-visa-um-estado-zero-diante-de-uma-categoria-que-desempenha-papel-heroico-dentro-do-INSS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *