18 de setembro de 2020

Diretores do SINDPREV-AL constatam irregularidades na Unidade de Saúde Noélia Lessa e cobram solução; veja vídeo

Situação é preocupante e requer ações urgentes por parte da SESAU-AL

Dando continuidade ao trabalho de fiscalização e vistoria das condições de trabalho dos servidores estaduais de Saúde, diretores do SINDPREV-AL estiveram no último dia 3 de setembro/2020 visitando a Unidade de Saúde Noélia Lessa. A visita foi solicitada pelos próprios servidores, que apontaram uma série de irregularidades que vão desde a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) em quantidade e qualidade, até péssimas condições nos alojamentos, estrutura sanitária do prédio, entre outras denúncias. A visita foi realizada pelos diretores do SINDPREV-AL, Lorivalda Lima, Olga Chagas, Alvaro Mazoni e Leonardo da Graça.
Durante a visita foi realizada uma reunião com os servidores, que relataram diversos problemas, além da total falta de perspectiva de valorização profissional.

REUNIÃO COM GESTORES

No mesmo dia da visita às instalações da Unidade de Saúde, o SINDPREV-AL tinha agendado uma reunião com os gestores para apresentar as denúncias e cobrar soluções. Nesta reunião o Diretor Administrativo, Danillo Felipe da Silva Messias reconheceu a precariedade da estrutura e se comprometeu em resolver algumas das demandas. Segundo ele, o governo pretende transformar o local em uma Centro de Reabilitação, transferindo os servidores da Unidade de Saúde Noélia Lessa para o bairro do Jaraguá em novo prédio a ser construído no próximo ano para abrigar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).
O diretor disse ainda que há meses vem solicitando da SESAU que sejam feitos os reparos na parte hidráulica, sanitária, elétrica e mobiliária, mas até o momento não foi atendido.
Como é do conhecimento de todos, o governador Renan Filho vem adotando uma política de completo descaso com a saúde pública, sem qualquer tipo de valorização para os servidores. O governo tem imprimido uma política de privatização e destruição do setor de saúde, numa total falta de sensibilidade para a área.

 

VEJA A SEGUIR RELATÓRIO COMPLETO:

No dia 03 de setembro de 2020 às 10:00h, o SINDPREV (Álvaro Mazzoni, Olga Chagas, Leonardo Correia e Lorivalda Lima) esteve visitando a Unidade de Saúde Noélia Lessa, atendendo à solicitação de alguns servidores que vem passando por grandes dificuldades para exercer suas funções, mediante as precárias condições de trabalho.
O Ambulatório 24 horas de Saúde Noélia Lessa, já passou por várias “reformas” e administrações, muito dinheiro público foi supostamente investido por vários governos para a melhoria do prédio, entretanto o que presenciamos foi um local subutilizado, com total descaso, um prédio em ruínas, jogado aos ratos e baratas e que jamais poderia funcionar como Unidade de Saúde, dada às péssimas condições insalubres verificadas.
Nos reunimos com os servidores plantonistas e ouvimos as inúmeras queixas do que apontam também o descaso com o quadro dos efetivos de nível médio, dentre eles, Auxiliares e Técnicos de enfermagem, serviços gerais, maqueiros, setor administrativo e outros. No tocante as condições de trabalho, constata-se que são precárias e impraticáveis para com todos que ali trabalham.
Dentre os quais se destacam: O alojamento para o descanso, a recepção, a copa e o refeitório.
O local do descanso feminino é pequeno para o quantitativo de servidoras por plantão, as trabalhadoras da Copa, Farmácia, Apoio e Central de Esterilização, descansam nos seus setores com os colchões colocados diretamente no chão, expostas a contaminação, as ações dos insetos e roedores; os beliches são altos e desproporcionais para algumas servidoras idosas. O alojamento está com o condicionador de ar quebrado, sem ventilação, sanitário com descarga quebrada, porta sem fechadura, banheiro sem porta, apenas com um lençol servindo de cortina.
Atualmente o alojamento feminino foi deslocado provisoriamente para sala de medicação, dividindo espaço entre as servidoras e os pacientes, sem nenhuma condição de privacidade, tal situação vem causando um grande desconforto e transtorno para todos. Sendo essa uma das pautas das denúncias apresentadas.
Segundo alguns servidores, há uma grande exposição de riscos do COVID19 na recepção, desde o início da pandemia em março de 2020, não foi providenciada nenhuma barreira de acrílico na grade para impedir a contaminação entre pacientes e trabalhadores que chegam muitas vezes sem máscaras. “O balcão da recepção é alto demais, desproporcional, mas pelo menos tínhamos cadeiras altas, no entanto elas quebraram. Já cansamos de pedir providências e até agora nada, desde fevereiro que aguardamos a substituição das cadeiras e nada aconteceu, saímos do plantão com dores na coluna e o pescoço travado. Ali não tem condições de trabalhar não, está terrível, as outras coisas nem se falam. Falamos muitas vezes com a direção e só dizem que falaram com a SESAU’, desabafa o servidor.
Além de todas essas denúncias, também foi destacado a escassez de EPIs, medicações, faltam gorros e as máscaras são de péssima qualidade.
Uma das participantes da reunião, se diz “bastante desestimulada e desvalorizada pelo governo, pelos quase 40 anos de atuação na área de saúde, recebendo um dos piores salários, sem plano de cargo e carreira, sem reajuste salarial e tendo que se aposentar e continuar ainda pagando 14% de previdência. Durante a pandemia muitos servidores foram contaminados, porém não receberam nenhuma gratificação que foram pagas a outros servidores”.
Após ouvir todas as reivindicações dos servidores, nos reunimos com o diretor administrativo, Danillo Felipe da Silva Messias, Assessor Administrativo, José Gabriel da Silva, Coordenador de RH, Cláudio Gustavo Lima da Silva e Denise Melo de Medeiros, para tratarmos do cada item que foi abordado na reunião. Vale salientar que essa reunião já estava agendada com a gestão para o mesmo dia da visita.
Diante das indagações feitas pelo SINDPREV dos pontos supracitados, o mesmo disse que há meses vem solicitando a SESAU que sejam feitos os reparos na parte hidráulica, sanitária, elétrica e mobiliária, mas até o momento não foi atendido. Com a advento da pandemia, esses reparos e aquisições não foram mais prioridades para SESAU, apesar disso o diretor reiterou o pedido para resolver as situações mais emergenciais e que a SESAU estaria autorizando realizar as melhorias do alojamento, recepção e outros. Contudo, o diretor Danillo enfatizou que não serão realizadas outras providencias com relação a uma reforma geral do prédio, pois o mesmo deixará de ser Unidade de Saúde e será transformado em um centro de reabilitação, e que o governo Renan Filho, têm pretensões de a partir de outubro autorizar a construção de uma nova Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para o Jaraguá, com previsão de inauguração para fevereiro de 2021 e que os servidores do Noélia Lessa serão relocados para essa UPA. O mesmo se comprometeu de entregar o alojamento reformado até segunda feira dia 07/09/2020, bem como ficou de providenciar o protetor de barreira acrílico e as cadeiras para recepção.
Embora a reunião tenha sido conduzida de forma amistosa e cordial por ambas as partes, com pontos convergentes e divergentes, o SINDPREV deixou claro seu posicionamento inaceitável as justificativas apresentadas pela gestão de não ser mais proativo devido os entraves da SESAU. Quem assume o papel de gestor deve assumir as responsabilidades que ocupa no cargo, exigir a autonomia institucional e não pactuar com o desmantelamento e precarização dos serviços públicos.
É notório que o governo Renan Filho vem priorizando a privatização do SUS, não é à toa que investiu pesado nas construções de UPAS, entregando-as para a iniciativa privada administrá-las, tornando a vida do servidor público uma via crucis, que vão desde exigências autoritárias no trabalho, até as perseguições, devoluções, transferências, abuso de autoridade e desvalorização descomunal dos servidores de saúde, além da contratação de serviços prestados precarizados, como cabide de emprego e de cunho eleitoral.
Diante de tal contexto o SINDPREV-AL estará acompanhando a concretização dos acordos firmados pela gestão do ambulatório 24 H Saúde Noélia Lessa, para que assim possa melhorar o ambiente e as relações de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *