19 de agosto de 2020

Seminário do Fórum das Entidades dos Servidores Federais define reação aos ataques ao serviço público e aos servidores

Documento aprovado pelos dirigentes nacionais do serviço federal apresenta calendário e ações prioritárias para o próximo período; unidade na luta foi destaque nas discussões

A etapa final do Seminário do FONASEFE – Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais aconteceu na sexta-feira, 14 de agosto, com a realização da Plenária para definição da agenda de lutas. O material apresentado é resultado das discussões feitas durantes os dois dias que antecederam a plenária final e que foram destinados à realização de análise de conjuntura e intenso processo de debate em grupos para definição das estratégias para os próximos períodos.

 

A direção da CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social foi representada no Seminário por seu presidente, Sandro Alex de Oliveira Cezar; o secretário de Organização, Raimundo Rodrigues Cintra; o secretário de Relações Internacionais, José Bonifácio do Monte, e a secretaria de Comunicação, Terezinha de Jesus Aguiar. Houve ainda a participação de diversas lideranças dos Sindicatos Federais filiados à Confederação.

 

Terezinha Aguiar, que também esteve no grupo de organização do Seminário, fez uma saudação em nome da CNTSS/CUT. A dirigente se manifestou inicialmente sobre o triste momento que o país vive por conta da expansão da pandemia e pelo altíssimo número de vitimas. “Este é um momento extremamente importante para nós que vivemos em plena ascensão da pandemia que já levou a óbito mais de 105 mil brasileiros. Uma lembrança neste momento sanitário estúpido que vivemos no Brasil e que o genocida tem responsabilidade direta com estas mortes de brasileiros valorosos,” destaca.

 

Na perspectiva da organização da luta, Aguiar fez referência à decisão acertada de realização deste seminário em que foi possível ver a participação expressiva de lideranças de todo o país focados nos mesmos objetos de organizar os trabalhadores e de pautar a luta dos servidores e da classe trabalhadora por seus direitos. “A nossa unidade é extremamente importante. A unidade da classe trabalhadora, das Centrais e dos servidores contra a Reforma Administrativa. O relatório está aí. É uma cartilha para cada um. Uma responsabilidade para os dirigentes de organizar a classe trabalhadora. É isto que os trabalhadores esperam das suas lideranças sindicais”, afirma a dirigente.

 

O documento apresentado e aprovado pelos dirigentes na Plenária tem como eixos centrais a construção de campanha unificada de 2020/2021 em que o FONASEFE discuta os pontos organizativos da pauta, estratégias de ação e calendário, integrando e consolidando a unidade política de ação dos servidores. O Fórum também deve atuar contra a Reforma Administrativa, pela solidariedade e unidade das lutas da classe trabalhadora, contra o projeto ultraliberal e de desmonte do serviço público.

 

A realização de um Dia Nacional de Lutas com greves e paralisações previsto para a segunda quinzena de setembro é outro ponto de destaque e pretende envolver os servidores das três esferas de governo, as Centrais Sindicais, movimentos sociais, movimento estudantil. Uma agenda de plenárias estaduais e criação de comitês estaduais, regionais e locais foi aprovada. Há a indicação de que as entidades discutam e levem às suas bases a construção de uma greve sanitária contra o retorno do trabalho presencial, em defesa da vida, contra a barbárie e contra as privatizações.

 

Os dirigentes definiram um calendário para estas ações e a contratação de uma empresa de comunicação para realização de uma campanha nacional de defesa dos servidores e serviço púbico. Por fim, a Plenária aprovou moção de apoio pela libertação do dirigente sindical argentino Sebastian Romero.

 

 

MOÇÃO PELA LIBERTAÇÃO DE SEBASTIAN ROMERO

 

O companheiro Sebastian Romero é um ativista e lutador do movimento sindical da Argentina que está sendo processado pela Justiça daquele pais por ter sido um dos principais articuladores das manifestações e greves contra a Reforma da Previdência naquele pais. Sua prisão aconteceu no Uruguai no inicio desse ano, foi extraditado para a Argentina logo em seguida, onde se encontra encarcerado ate hoje.

 

Considerando essa situação, o Seminário Nacional do FONASEFE aprova moção de exigência da libertação desse companheiro lutador, uma vez que o mesmo está sendo criminalizado justo por lutar em defesa dos direitos e conquistas do povo trabalhador argentino. Essa moção deve ser enviada para o Governo da Argentina, para a instâncias responsáveis do Judiciário daquele país e para a Embaixada Argentina no Brasil.

 

 

Clique aqui e veja o Relatório Final do Seminário:

 

 

 

 

José Carlos Araujo

Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *