26 de junho de 2020

VÍDEO: CUT, SINDPREV-AL e diversos sindicatos protestam em Maceió contra a privatização da água, pela democracia e em solidariedade aos mais de 55 mil mortos pela Covid-19

Veja vídeo da mobilização realizada nesta quinta-feira (25) no elevado do CEPA na principal avenida da capital alagoana

Organizado pela CUT-AL e com a participação do SINDPREV-AL e outros sindicatos foi realizada nesta quinta-feira (25) um protesto contra a privatização da água, em defesa da democracia e uma homenagem aos mais de 55 mil brasileiros e brasileiras mortos pela Covid-19. Participaram o presidente do SINDPREV-AL, Francisco Mata e os diretores Valda Lima e Leonardo da Graça.

Na manifestação foi lembrado pelos sindicalistas a postura entreguista adotada pelos senadores alagoanos Fernando Collor de Mello (PROS) e Rodrigo Cunha (PSDB), que votaram pela aprovação do PL 4162, que privatiza a água no país. A aprovação deste PL é extremamente grave, pois muda o marco do setor, extinguindo o modelo atual de contrato entre os municípios e as empresas estaduais de água e esgoto. O novo marco retira autonomia dos municípios e transforma os contratos em vigor em concessões com a empresa privada que vier a assumir a estatal.

A nova lei permite abrir caminho para o domínio de empresas privadas no setor. A obrigação de realizar licitações e as metas de desempenho para contratos tenderão a prejudicar as empresas públicas. Atualmente os municípios e o Distrito Federal podem realizar a prestação do serviço de três formas: a direta, quando os próprios entes públicos podem executar as atividades; a indireta, usando contratos de concessão realizados por licitação; e por gestão associada a consórcios públicos, por meio de um contrato de programa.

DEMOCRACIA

Os sindicalistas também registraram a luta pela democracia no Brasil, ameaçada por atos de seguidores do presidente Jair Bolsonaro, que não esconde a sua faceta ditatorial. A defesa da democracia é uma bandeira permanente do movimento sindical brasileiro e de grandes patriotas que lutaram e lutam pela liberdade.

SAÚDE 

Outro ponto importante lembrado pelos manifestantes é a defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) e valorização dos profissionais da saúde que arriscam suas vidas todos os dias para salvar outras vidas.

HOMENAGEM

Também no ato foi lebrado as mais de 55 mil vítimas da Covid-19 no Brasil, inclusive muitos profissionais da Saúde, que tiveram suas vidas ceifadas, alguns por falta de estrutura ou capacidade dos governantes de garantir as condições para o exercício profissional.

VEJA O VÍDEO 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *