26 de junho de 2020

SINDPREV-AL exige pagamento de gratificações para todos os profissionais da Saúde Estadual que lutam contra a Covid-19 sem discriminação

O SINDPREV informa que já apresentou denúncias ao Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público Estadual (MPE) e enviou ofícios a SESAU e Hospital Geral do Estado para esclarecer quais os critérios adotados para o pagamento das gratificações

Nota de repúdio

 

O SINDPREV-AL vem a público repudiar  as ações do governo do Estado de Alagoas  Renan Filho pela prática ilegal  e discriminatória de selecionar apenas alguns trabalhadores da saúde  (Prestadores de serviços e alguns profissionais que fazem escalas extras)  do Hospital Geral do Estado para receberem uma gratificação, deixando de fora os demais profissionais de saúde  do Estado  lotados na SESAU e UNCISAL,  que também tem dado assistência e cuidados aos pacientes com COVID19 em várias unidades e serviços de saúde. Em um contexto tão peculiar como o que vivemos em meio à pandemia de Coronavírus, não podemos aceitar um tratamento desigual, restringindo a gratificação tão somente para uma parcela mínima de profissionais em detrimento dos demais.  Essa prática provoca um sentimento de indignação coletiva, pela desvalorização dos profissionais de saúde que há anos não tem uma política de valorização salarial e que num momento como esse é tratado de forma excludente das gratificações. Muitos profissionais de saúde e outros que atuam na área da saúde foram acometidos pelo COVID19, nos mostrando que o coronavírus não escolhe quem vai infectar de acordo com os setores que trabalham, inclusive muitos profissionais independentes das categorias que representam foram vencidos pelo vírus, indo à óbito.  Não é possível que o Estado desconheça essa realidade e não assuma o ônus para com os trabalhadores numa situação como essa!

Enfatizamos que o SINDPREV-AL jamais será contra a gratificação que foram pagas aos trabalhadores de serviços prestados e aos que fazem Extras, são todos merecedores desse abono, porém exigimos que esse direito seja ampliado a todos que atuam na área da saúde. Diante de tal contexto, o SINDPREV   informa que já apresentou denúncias ao Ministério Público do Trabalho e Ministério Público do Estado, bem como, enviou ofícios a SESAU e Hospital Geral do Estado para esclarecerem quais os critérios adotados para o pagamento das gratificações.

Torcemos para que esses impasses sejam corrigidos com maior brevidade e que todos os trabalhadores gozem dos mesmos direitos

O SINDPREV-AL seguirá na luta denunciando toda e qualquer ilegalidade cometida contra a classe trabalhadora, bem como, reitera o compromisso na defesa dos direitos e garantias sociais de todos.

 

SINDPREV, Unidade,Resistência e Luta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *