30 de junho de 2020

Renan Filho ataca sindicatos para enfraquecer luta do funcionalismo por direitos

Governo encaminhou à Procuradoria Geral do Estado um anteprojeto que tem como objetivo asfixiar os sindicatos, impedindo a liberação dos dirigentes sindicais para as atividades de luta

O SINDPREV-AL vem a público repudiar veementemente a clara intenção do governado Renan filho em asfixiar financeiramente os sindicatos de defesa dos servidores públicos estaduais.

Em uma demonstração nítida de ação antissindical, Renan Filho planeja cobrar dos sindicatos a liberação dos dirigentes, o que, na prática funciona como uma forma de inviabilizar as entidades sindicais e assim evitar resistências à sua política de destruição do funcionalismo estadual.

Diante de mais este ataque sem precedentes à organização sindical, o SINDPREV-AL vem a público denunciar e repudiar tal atitude antissindical por parte do governador Renan Filho e sua política de destruição do serviço público estadual.

O objetivo do governador é claro: quer asfixiar os sindicatos economicamente. Segundo o PL, o pagamento dos dirigentes sindicais, servidores públicos, que estão à disposição do sindicato e da categoria, teria que ser arcado pelos próprios sindicatos. Com a proposta, os sindicatos terão que ressarcir a remuneração dos diretores à disposição. Vale lembrar que muitos sindicatos possuem receita baixa e passam por dificuldade financeira. É exatamente por saber disso que o governador Renan Filho ataca os sindicatos estaduais de defesa dos servidores públicos, numa clara demonstração de que quer subjugar o movimento sindical, destruindo toda e qualquer fonte de resistência à sua política de destruição de direitos.

Quando coloca na ponta do lápis, a tal economia que seria conseguida com o pagamento dos salários dos dirigentes sindicais liberados pelos sindicatos é irrisória.  A economia que o Governo alega é inócua. Se você for ver a folha de pagamento do Estado para com os dirigentes, é 0,1%. Essa economia é zero. A intenção do governador é clara e visa ‘calar a boca dos sindicatos’. Renan Filho quer fazer com que os sindicatos deixem de existir para deixar de fiscalizar.

Fica evidente que o propósito do Governo é atingir, financeiramente, quem pode fiscalizar, quem pode cobrar as atribuições das categorias profissionais do serviço público de Alagoas. O que a gente vê é um propósito de se chegar ao controle das instituições.

*Com informações da gazetaweb.com 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *