24 de março de 2020

Diretor do SINDPREV-AL recebe denúncias de falta de material em Unidades de Saúde de Maceió e defende rodízio de servidores por falta de EPI’s

Juarez Teixeira vem alertando a Prefeitura de Maceió quanto a falta de estrutura nas Unidades de Saúde

O diretor do SINDPREV-AL Juarez Teixeira concedeu entrevista aos jornalista Oscar de Melo e Warner Filho nesta segunda-feira (23) onde apresentou uma série de denúncias sobre a falta de estrutura nas Unidades de Saúde de Maceió, onde os servidores estão sendo obrigados a trabalhar, apesar dos apelos do Movimento Unificado.

Juarez disse que recebeu denúncia de servidores da Unidade de Saúde José Araújo, que fica localizada no Jacintinho, onde não há álcool em gel para o uso individual. Na Unidade de Saúde Durval Cortez, a vacinação contra o vírus H1N1 teve que ser suspensa, pois os servidores não têm Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s).

Juarez reconhece que as dificuldades são enormes, mas que os servidores não podem ficar expostos à contaminação juntamente com a população. Em algumas Unidades de Saúde não tem máscara de proteção individual suficientes. Há denúncias de que cada servidor recebe apenas cinco unidades para todo o dia de trabalho. Tem ainda caso de Unidade, onde trabalham 70 servidores e recebeu uma caixa para passar toda a semana e ainda tem que colocar máscara no usuário que chega resfriado e colocar em isolamento.

Diante do quadro de falta completa de estrutura, Juarez fez um apelo ao bom senso dos gestores para que realizem rodízio de trabalho com os servidores, já que a Secretaria de Saúde não oferece as condições mínimas para o trabalho. Muitos servidores estão realizando trabalhos burocráticos, sendo submetidos a perigos desnecessários.

“Em nenhum momento os servidores estão pedindo para não trabalhar. Acontece que a situação é alarmante por absoluta falta de estrutura. Faço o apelo para o bom senso dos gestores para que estabeleçam um rodízio entre os trabalhadores e liberem aqueles que estão em grupos de risco. Muitos dos servidores que estão trabalhando são hipertensos, idosos, com diabetes. Reafirmamos o apelo ao secretário de Saúde para que veja o lado humano da questão, preservando os servidores e também a população com um todo”, afirmou Juarez.

O SINDPREV-AL deu entrada na Justiça Federal com pedido para que os governos dos três níveis (federal, estadual e municipal) forneçam os materiais necessários aos servidores para o trabalho em postos de saúde.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *