2 de julho de 2014

Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político

Cartilha do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político

plebiscito

Você é a favor de uma constituinte exclusiva e soberana sobre o sistema político? Não sabe o que isso significa? Entenda mais sobre a proposta lendo a cartilha elaborada por diversas organizações.

Todos os brasileiros e brasileiras têm direito a um sistema político que lhes garanta representação e participação e que assegure, de fato, que demandas, desejos e problemas sejam tratados conforme as reais vontade e necessidade da maioria. Hoje, não é assim. Por isso, os movimentos sociais produziram uma cartilha que tem o objetivo de informar e multiplicar a informação sobre a importância de uma reforma política no Brasil.
Uma mudança que avance além do sistema eleitoral e crie mecanismos para dar ao povo
condições de influir efetivamente nas decisões do País. Para atingir esse objetivo, as entidades defendem o instrumento fundamental que assegure aos próprios cidadãos a possibilidade de convocar plebiscitos e referendos – algo que hoje somente o Congresso Nacional pode fazer.

A partir de um plebiscito popular, o povo dirá sim ou não a uma Constituinte Exclusiva e Soberana composta por cidadãos e cidadãs eleitos/as exclusivamente para mudar o sistema político, e não pelo Congresso Nacional.

Em setembro de 2013, a Plenária Nacional dos Movimentos Sociais aprovou a realização de um Plebiscito Popular pela Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político. A Plenária também definiu que a pergunta será única: “Você é a favor de uma constituinte exclusiva e soberana sobre o sistema político?”

Nas páginas a seguir falamos como poderemos fazer essa luta que contribuirá decisivamente para a democratização do Brasil.Veja a cartilha aqui

Fonte: Plenária Nacional dos Movimentos Sociais

2 Comentários em “Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político

Jair Rosa da Silva
7 de novembro de 2014 em 10:49

Tem que acontecer, e ser abrangente , retirar de uma vez por todas as

mordomias e os vícios que se tornaram ” direitos” na política brasileira;

Abrir espaço para que a participação popular não fique apenas no ato de votar, que

aliás , deve se tornar fascultativo. Uma Democracia não pode começar com voto

obrigatório .

Responder
JAIR ROSA DA SILVA
18 de novembro de 2014 em 10:29

Constituinte exclusiva, soberana, com todo cuidado pra

não ser contaminada por esse Congresso que está aí, eliminar

todos os vícios, se isso for possível…

Responder

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *